O QUE É O ESPIRITISMO

         

           lgumas pessoas que têm lido estas crônicas, perguntam a si mesmas o que é o Espiritismo. São, talvez. incapazes de fazer distinção entre Espiritismo e o que se pratica por aí com o rótulo falso de Espiritismo, a ponto de estabelecer duas classes: o alto e o baixo Espiritismo. Entretanto, os que conhecem a Doutrina sabem perfeitamente que só há um, o Espiritismo cristão e humanitário, que é o verdadeiro, sendo o outro falso e não baixo.

Aliás, todos quantos conhecem as obras fundamentais, as que foram escritas ou codificadas pelo pensador francês Dr. Hippolyte Léon Denizard Rivail, mais conhecido por Allan Kardec, estão em condições de saber que não há outro Espiritismo, senão aquele que foi sistematizado por Kardec. Confundir, portanto, a Doutrina Espírita com xangô, o catimbau, a bruxaria, a quiromancia,  a cartomancia e outras práticas desse teor, é oferecer uma prova patente de ignorância do que seja realmente o Espiritismo. Ele não tem práticas exteriores nem culto externo, atos litúrgicos ou cerimônias; não explora pessoa alguma e manda, como o Cristo, dar de graça o que de graça tem se recebido.

É uma Doutrina Filosófica profundamente espiritual, que está restabelecendo, em nossos tempos, a verdadeira Doutrina de Jesus, o primitivo Cristianismo, porque, mercê da interpretação que os Espíritos Superiores estão nos dando dos ensinos divinos do cristo, os Evangelhos estão sendo conhecidos, desde 1875, em espírito e verdade, e apresentando-se-nos com aquela mesma fisionomia que identificava e tornava inconfundível a Obra eterna do nosso Senhor Jesus Cristo. Ele preconiza sistematicamente a prática do bem, desaconselha vigorosamente o mal e adverte sempre, e isso é notável, que deixarmos de fazer o bem é o mesmo que fazermos o mal. É radical nesse ponto de vista. Não admite meios termos. É a Doutrina do Amparo e da Caridade, do Bem e da Verdade, pugnando com a arma sagrada do Evangelho pela cristianização da alma, pela reforma moral da criatura humana. Não combate as religiões, não destrói a fé sincera, não é iconoclasta nos seus princípios e conseqüências, não desrespeita a crença dos ministros de qualquer religião, afirmando apenas, que a salvação não se obtém por graça nem pelo sangue derramado por Jesus no madeiro, no Seu divino Sacrifício, porque assegura, com fundamento no Evangelho e na lógica, na razão e na verdade, que a salvação é ponto do esforço individual que cada um emprega na medida de suas forças, para imitar Aquele que Se disse, com razão, o Caminho, a Verdade e a Vida para Deus. O Espiritismo é a filosofia vitoriosa do futuro; é a ciência de Deus que se funda na imortalidade da alma, na sua ascensão e purificação, é a Religião pura de Jesus Cristo que não se estriba, apenas, nas palavras, nos discursos, porém, na exemplificação de todos os postulados da Sua Doutrina, de todos os ensinos maravilhosos do nosso Divino Salvador. Mas, o Espiritismo não é só isso. Continuaremos em outras crônicas, dizendo o que ele é.

 

 Djalma Montenegro de Farias

(junho/julho de 1951)

Extraído do Livro "Obras Completas de Djalma Farias, Vol. I"